BLOGELLERA

Marujos! Chegou a segunda parte do mapa.

Como combinamos segue a segunda parte com caminhos para navegar nos mares de UX e estarmos prontos para atravessar mares bravios.



Pois, Marujo habilidoso não se faz em mar sereno.


1 - Ficar perdido no mar é apavorante!


Imagine-se perdido no meio do mar, sem saber para onde navegar para encontrar terra!!


É assim que seu cliente se sente quando não encontra facilmente o que procura. E, nesse caso, como no mar, a primeira coisa que a pessoa pensa é: preciso sair daqui!


Para o consumidor, não há nada mais frustrante do que buscar por produtos e não encontrá-los ou obter resultados que não sejam coerentes com o que foi pesquisado.

Portanto, um grande cuidado que os e-commerces devem ter é quanto à nomenclatura e à descrição dos itens, tanto nos textos como nas imagens.


Diferentemente da loja física, o cliente não vai poder provar ou tocar os produtos, ver as cores reais ou mesmo sentir o cheiro. Tudo isso deverá ser passado a ele por meio das descrições de textos, imagens, vídeos e até mesmo imagens em realidade aumentada, para que a percepção seja aproximada do real o máximo possível .


Dica aplicável: Quanto mais detalhada for a descrição, maiores as chances de o cliente se sentir satisfeito com a compra ao receber o produto.


2 - Acessibilidade: uma praia incontornável


A acessibilidade tem sido assunto de discussão cada vez mais relevante entre profissionais que lidam com a experiência do usuário.




Ao planejarmos uma experiência, é do interesse da empresa que o maior número de pessoas possa consumir seu produto ou serviço.


Portanto, não é possível deixar grupos inteiros de fora de um tipo de experiência.


Elementos em interfaces gráficas precisam ser reconhecidos para que sejam utilizados.




O básico é que um site ou app possa trabalhar sua interface do usuário para que leitores de telas leiam e traduzam suas imagens (botões, fotos, cards com textos, banners, entre tantas outras que possam existir).


Dessa forma, o site ou app já se torna mais acessível para um grande grupo que, muitas vezes, acaba “ficando de fora”, mas poderia ter clientes em potencial. É importante destacar que acessibilidade é um tema muito amplo e envolve diversas questões, além de tipos e graus de deficiência.

Sendo a deficiência visual a que mais afeta em proporção, a preocupação em nomear e descrever imagens para que a interface funcione em leitores de telas, já é um grande passo para a inclusão.


3 - Mantenha seu barco sempre limpo e as velas ajustadas!


Como você se sentiria ao entrar em uma loja de roupas e encontrar produtos fora de moda, vendedores que não entendem o que você procura ou formas de pagamento que quase não são mais usadas?


O cliente sempre busca por tendências, bons produtos, atendimento e formas de pagamento otimizadas. E isso vale para qualquer e-commerce.

Os produtos oferecidos precisam estar em estoque – ou com alguma previsão de estar em um futuro breve, os anúncios e os contatos da loja atualizados – e funcionando.


As formas de pagamento também precisam ser variadas, bem como opções de parcelamento ou desconto (como desconto de frete na primeira compra), que podem atrair o cliente para a compra. Não se esqueça do PIX: estudos já mostram que clientes deixariam de comprar se não houver a opção de pagar por esse meio.


Lembre-se também de que, se o e-commerce oferece produtos relacionados, estes também precisam estar atualizados na recomendação.


Ainda sobre o assunto atualização, vale lembrar as formas de contato com o cliente. Um app de vendas, por exemplo, com apenas um número para telefone fixo ou celular não combinam.


Então, é preciso pensar em como o cliente vai entrar em contato. Será via chatbot?

Ótimo! E como vai ser a linguagem que o sistema ou o atendete vai usar?

Ela é adequada ao propósito e estilo da loja?



Dica aplicável: Quando falamos sobre vendas no universo digital, tudo é dinâmico e fluido. O mesmo vale para o modo como os produtos estão dispostos em uma vitrine online. Por isso, estar com um olho nas tendências estéticas e tecnológicas é imprescindível.


Por hoje isso Marujo(a)s, fiquem atentos ao horizonte pois em breve traremos novas cartas náuticas.


Ah, não pegou as primeiras 3 dicas?

Aqui o link!




Salve!