BLOGELLERA

João Gilberto e teus planos.




"Isso não é música, é nhe-nhe-nhem", reclamava o pai de João Gilberto, Juveniano, em Juazeiro, enquanto João (na juventude) repetia sem parar os mesmos acordes, a mesma cantoria e o mesmo ritmo (Hélio Gurovizt, Revista Época, julho/2019).





João Gilberto nos deixou e, lendo mais sobre sua vida, vi que ele tem um aspecto, além do seu talento singular, que pode nos ajudar a realizar projetos e sonhos.

Parto desse trecho da coluna do Hélio para mostrar como é fundamental acreditarmos em nossos sonhos, independentemente do que os outros digam, ou até mesmo do que a nossa severa autocrítica (muita vezes desencorajadora) nos mostra.

Se João Gilberto tivesse sucumbido às reclamações de seu pai, o mundo não teria este talento, quicá a Bossa Nova teria sido o que é.

É evidente que não basta botar fé nos planos, precisamos executá-los, senão, eles ficam no nhe-nhen-nhem.

Por mais distante que possa parecer o teu projeto, começar a "caminhar" é o único modo de concretizá-lo. E, para iniciar a "caminhada", não precisamos ter tudo o que o sonho/projeto precisa:

João Gilberto ensaiava, por horas a fio, trancado no banheiro – em Juazeiro!!

Era o mais próximo que ele tinha de um "estúdio" e/ou redução de interferências.

O que João Gilberto fez? Dentro da lógica do Design Thiniking e do SCRUM, ele prototipou e colocou pra funcionar, do jeito que dava. Afinal, ele estava testando, aprimorando, "pilotando".


Isso é uma das premissas do Design Thinking: protótipos rápidos, sem acabamento estético, mas testáveis.

E também do SCRUM (método ágil para o desenvolvimento de projetos): toda a etapa concluída tem que ser utilizável.


Portanto, que tal começar hoje a realizar aquele projeto que está na "gaveta" há anos? (uma pós-graduação, uma viagem, um esporte radical, um hobby, etc. – vale tudo).


Para isso, deixo 5 etapas que são uma mistura de DT + SCRUM para você colocar pra "rodar" o projeto:


1) Coloque no papel.

Escreva o título do projeto, o motivo, e os meios (mesmo que ainda não existam).


2) Comece a pesquisar e registrar sobre (o projeto/tema, o motivo e os meios).

É fundamental ter um repositório desses registros, eles podem ser insights depois.

Pode ser um caderno, um arquivo Word, um planilha, etc.


3) Faça um fluxo do projeto.

A parte de pesquisa deve estar nesse fluxo.

Coloque em uma planilha (pode ser em papel ou eletrônica) as etapas de que precisa para chegar lá.

E procure, nas pesquisas, ideias para concretizar cada etapa.


4) Estabeleça uma data/momento: diário, semanal, quinzenal ou mensal (mas, depois de decidido, tem que ser rígido) para atualizar o projeto.

Esta é a parte chave!


5) Esse projeto deve ser divido em tarefas e as tarefas colocadas em 3 colunas (dependendo do seu "status":

A FAZER / FAZENDO / FEITO.

Qualquer coisa que chegue à etapa do feito precisa ser tangível: ou seja, podemos mostrar ou testar para/com outras pessoas.


A medida que for avançado, a coisa vai tomando corpo e saindo do campo das ideias.

Esse sistema pode ser aplicado junto com parceiros/equipes, desde que todos tenham o mesmo objetivo/mote.


Em caso de equipes, todos precisam participar da reunião sistemática – pode ser por Skype mesmo, mas presencial é melhor – e todos devem saber o que cada um vai fazer, está fazendo e/ou fez (a grande vantagem desse compartilhamento é que todos podem dar ideias ou sugestões para membros da equipe).


Ah, as equipes não devem passar de cinco pessoas (se passarem, é melhor criar duas ou mais e compartilhar resultados).


Espero ter ajudado a incentivar você a colocar um sonho na prática; e dá pra fazer ouvindo João Gilberto para se inspirar.



abraço do Ellera

Posts Recentes

Assine o BlogEllera saiba as novidades sobre design, branding, negócios e ganhe um cupom de 5% em um dos nossos cursos.
Ellera Design é Estratégia | Porto Alegre

Rua General Neto, 244/201
Floresta | Porto Alegre |  RS
90560 020

(51) 99967 9089

Todos os Direitos Reservados. Ellera Design é Estratégia | CNJP 94.275.104/0001-52

CON
TA
TO