BLOGELLERA

Como usar a potência do e-commerce.

“O faturamento do e-commerce cresceu 41% em 2020, com mais de 194 milhões de pedidos feitos por consumidores brasileiros no ano. Essa foi a maior alta percentual desde 2007.



Segundo dados do estudo Webshoppers (Ebit/Nielsen & Bexs Banco), as vendas somaram cerca de R$ 87,4 bilhões no período, impulsionadas pela pandemia de Covid-19.”


“O crescimento do e-commerce foi forçado pela pandemia em partes, por conta do isolamento social e da restrição na abertura do comércio presencial”, disse Marcelo Osanai, diretor de e-commerce da Ebit/Nielsen, ao InfoMoney.

“A população brasileira viu que existe outra opção de compra, acessível e cômoda.”


Portanto, é um momento oportuno para:


A – Aprimorar a Experiência do Usuário em seu produto.
B – Colocar seus produtos e/ou serviços para venda na web (sim, ainda dá tempo!!).

Se liga, mesmo em templates prontos ou pré-prontos de sistemas de e-commerce, você ainda vai precisar de técnicas para:


• Saber qual a melhor disposição ou forma de categorizar os produtos.

• Como melhorar a qualidade das imagens.

(em termos de fotografia e definição – resolução).

• Como fazer uma descrição o mais detalhada possível sem ser cansativo.

• Dar o melhor feedback e respostas para dúvidas de clientes.


Além disso, vamos deixar algumas dicas que são fundamentais para o sucesso do seu comércio digital:


1. Smartphone como canal de venda

O crescimento de compras por smartphone foi o maior contribuinte para o ano histórico do e-commerce. 55,1% das transações foram feitas por aparelhos móveis, somando R$ 45,9 bilhões em faturamento.

É um aumento de 79% em relação a 2019 e de 176% em relação a 2018. Esses números não consideram transações de aplicativos de delivery.


Dica aplicável – O ideal é começar fazendo o design do seu e-commerce pelo formato mobile, depois pense no desktop.

2. Frete gratuito para fechar a venda.

Segundo a pesquisa, outro fator preponderante para os consumidores foi garantir frete gratuito nas compras: 43% das transações não tiveram custo de envio para o consumidor.


Dica aplicável – Para o início do seu negócio, bancar esse custo é investimento. Você vai estar “gastando” para criar a sua comunidade de marca.

3. Compras aceleradas para além da sua região.

O Nordeste teve grande crescimento no segmento; 31,7% do aumento total de 2020 veio de consumidores nordestinos. Agora, a região é responsável por 18,5% do faturamento de e-commerce no Brasil, o dobro da participação vista em 2019.


Dica aplicável – Aqui não tem muita “dica”... a solução é encontrar meios de agilizar sua produção e entrega.
Mas calma... isso pode ser feito aos poucos. Comece com o prazo que for viável; depois, na medida em que você for conhecendo os “atalhos”, vá reduzindo o tempo.

4. Encontrar facilmente seu negócio por buscadores e/ou redes sociais

Redes sociais e sites de busca lideram como expoentes de produtos ao consumidor. No segmento de Casa e Decoração, 55% do faturamento total do setor veio de consumidores que encontraram as lojas a partir desses locais. Outros setores beneficiados pelas redes sociais foram Roupas e Calçados, com 44% do faturamento, e Perfumaria, com 38%.


Dica aplicável – Busque constantemente melhorar o seu SEO (otimização dos motores dos sites de busca).
Algumas recomendações básicas:
Publique conteúdo novo sistematicamente no seu site (com um blog por exemplo).
Descubra e use as palavras-chave do seu segmento (as mais buscadas) e utilize-as nos textos.
Cuide a velocidade de carregamento do seu e-commerce (principalmente no mobile).

Quer saber mais?


Conheça o nosso curso Marujo – Desbravando os Mares do UX.